quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Fila de Espera

E naquele corredor se formavam duas colunas de gente.
Sentados contra a parede todos aguardavam.
Alguns conversavam entre si para o tempo passar,
outros ouviam música, liam.
Alguns certificavam-se de que sua companhia estivesse bem,
outros, apenas cuidavam.
Alguns tinham paciência,
Outros permaneciam com suas pernas inquietas.
Um clima de espera, ansiedade, desespero tomava conta do local,
junto a todas as diferenças que existiam.
Até que ao longo do tempo,
As pessoas se cansaram.
Era como um quadro congelado,
Sem vida, sem gosto, sem vontade.
E naquela espera por atendimento as pessoas apenas se prendiam as suas esperanças.
Até que um som cortou a paralisia.
Um choro, um bebê.
Ainda havia vida...

Um comentário:

  1. Adorando a tua descrição do cotidiano..menino, vc tem talento!!!

    ResponderExcluir